sábado, 13 de dezembro de 2008

EM MI MENOR

Eu sou alguém revoltado com a realidade social à nossa volta. Não sou militante político ativo, por vontade de me dedicar sempre à música, que exige muito de um ser humano. Mas não sou um alienado que só enxerga claves de sol em sua frente.

Desde cedo tenho uma revolta com os decasos, os demandos e os desserviços de particulares e entes públicos. Morando em Maceió, neste Estado de Alagoas, tão rico por um lado, tão pobre por outro, aumenta cada vez mais a minha indignação frente às mazelas de nossa sociedade.

A revolta atinge o meu espírito criativo e eu crio uma música cuja letra transcrevo a seguir:

Em mi menor
Posso fazer uma canção
Em mi menor
Expurgarei do coração
E farei minha catarse

Pra dizer da revolta por que passo dia-a-dia
De perceber que ano passa, ano vem e a burguesia não consegue resolver
Ou talvez o seu Estado não queira saber

"Eu não tô nem aí,
Não ando por aí
Meu filho nunca foi aí"

O Trio Malacada está ensaiando esta música e espero mostrar a quem se interessar em breve. Abraço a todos.

14 Comentários.:

Anderson Santos disse...

Quero escutar essa música!

homero baco disse...

eu já escutei :)

Anônimo disse...

Menino, cada dia vc cresce mais! Impressionante o suas palavras. Te amo maninho

Isolda Herculano disse...

Saluuu, cada um de nós vive um tanto dessa sua indignação social. Que bom que no seu caso ela é revertida em arte, que é o seu protesto e a sua forma de não ficar passivo frente a isso e àquilo. Parabéns! Ensaiem mesmo que eu quero ver. E, indiscutivelmente, ouvir.

Abraço.
Isolda.

Ísis disse...

É.Como bem observado por Isolda, pelo menos você consegue transformar a revolta em arte. Muito bom pra você e para as pessoas que convivem contigo.

E eu, que não tenho o talento que você tem, procuro me virar, protestando do meu jeito. Daquele meu jeito...rs

Viva a arte engajada! E torçamos para que vivamos dias melhores.

Ah! E depois toque pra mim vum?! ;)

Jorn disse...

Salomão tenho que te vê tocar ainda lá no Mandala! Estou te devendo essa!!!

Bjos

daiane disse...

Existem várias formas de expressar sua “revolta” contra o atual sistema desumano e desigual que vivemos, a música pode ser uma forma de protesto, como ocorreu durante a autocracia burguesa.
Você tem uma arma nas mãos, precisa utilizá-la, a música quebra barreiras, ultrapassa o espaço e o tempo, podem levar as pessoas a reflexão.

Foi um dos meus piores comentários.
:P

Dai

Ismar Chico disse...

Mais um revoltado que tira inspiração do lixo alagoano!
Abaixo um poema meu:

O NOVO TREM

Foi nesta cidade de belas praias poluídas que nasci.
Nesta cidade onde a corrupta ganância engorda poucos
E tornam outros tremendamente esfomeados.
Foi entre brilho e sujo que cresci,
Eu crendo e sendo a iludida promessa de loucos,
Que nos governam em sua burrice de desesperados.

Foi aqui que minha infância se cobriu de fantasias:
E todo aquele tempo foi para tremendas contradições.
A dança marítima e sua brisa me enchiam de paz,
Mas logo depois uma poeira periférica de alergias
Traziam multidões de agonizantes alucinações
De uma gente esquecida, deixada pra trás.

E o que fazer já nesta idade adulta e amargurada?
Talvez seja melhor sonhar com puros folguedos;
Sonhar com outros enredos de uma felicidade perdida.
Mas parece tarde, pois minha gente angustiada,
Volta-se para fugazes, estrangeiros brinquedos,
Que iludem e parecem a solução mais precisa.

Eu sigo meu passeio sobre as linhas tortas de ferro,
Nela conheço a gente, a carência que dela suspira.
Não é como eu essa gente que não vê seu destino.
Diferente de mim que inutilmente rasgo meu berro,
Minha gente é calada e só sabe de uma triste fadiga
Exposta no sono do balanço do trem vespertino.

Vai saudosismo de um tempo que não conheci,
Deixa-me, pois uma novidade esmaga teus sonhos,
Um novo trem está chegando para embelezar a cidade.
Já vejo a velha visão de tempos que não esqueci,
Uma cobra brilhante entre os barracos bisonhos,
A pura contradição desta podre realidade.

gustavo disse...

Salomão, parabens pela música e vamos colaca-la para frente, assim como suas outras composições. Essa poesia acima é do meu conterra, Ismar, aquele do sarau. Que também é um ótimo compositor, assim como vc.

A Taverna das Ilustres Memórias disse...

Salóló
de certa forma vc não vai até a nota Ré
pois suas idéias não te permite fazer isso

e gostei viu...
mesmo!!!

marlos disse...

salomão!!! só com o título fiquei instigado... depois que vi a letra então...
cara fiquei muito feliz por vc!!! continue com esse talento!!!

Suzana disse...

Voltei, Salomão!!
^^
Soube que irá tocar no trote, dia 09, é verdade?
Te verei lá se tiver confirmado!
Té!!

=****

Isolda disse...

Ei, tenho uma surpresinha pra você lá no blog. Vá conferir!

Beijokas.
Isolda.

http://www.isolda.blogger.com.br

Anônimo disse...

Hum...a letra é linda!Parabéns.

Beijos,

Dayane