terça-feira, 3 de novembro de 2009

atlântico negro



Ninguém sabe onde vai desembocar a estrada da vida, mas é lindo o caminhar. Às vezes sentimos vontade de parar e simplesmente contemplar os cavalos que passam. Alguns começam a sambar e apelam a algum orixá. Outros nem chegam a refletir; quedam pulando que nem pipoca em seus abadás de centenas de reais. Há aqueles que viajam ao sul do país para matar saudade de outras vidas. Outros ficam quietos, soturnos, porque sabem que a maioria dos macacos é fútil pavão. Mas não são frágeis por isso. Sensíveis, pois sentem a ausência do útero quando eram fetos. É indiferente saber qual o sotaque de quem não pensa sobre a vida, pois estes estão em todas as regiões geográficas. O que pensará Bush sobre a vida? Seu “boa tarde, povo!” será sincero ou a guerra no Iraque é prova inconteste de sua irreflexão? Vai, Bush, até o chão!

*Texto meu baseado no disco Atlântico Negro, quinto álbum do catarinense-alagoano Wado. Acesse www.wado.com.br e baixe gratuitamente as 11 faixas do disco.

4 Comentários.:

Suzana Gonçalves disse...

Muito bacana, Salomão!
Cadê você no último show?!

bjoos

Thiago disse...

Aê, cara nova pro blog! Agora só falta um texto por dia, né! Brincadeira, Salomão.
Ei, conheci a Bula, gostei, vi um texto teu lá.

Abraço.

Brechóviski disse...

Belíssimo texto.!

Anônimo disse...

Poxa você faz aula com os dos melhores músicos do nordeste
Queria saber como faz aula COM WELLINGTON também gosto muito de chorinho eu sei um pouquinho e queria aprende mais e mais se você se você poder me informar! Vou agradecendo.