quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Oração ao tempo

Djavan, após o excelente "Matizes", de 2007, nos brinda agora em 2010 com o seu elegante "Ária". É o primeiro álbum de intérprete de Djavan. Acredito na dificuldade da gestação deste álbum, uma vez que Djavan ainda tem muitas canções próprias a serem gravadas. O homem não pára de compor!

Pois bem. Deste "Ária", quero destacar a canção "Oração ao tempo", de Caetano Veloso. A música não é "oração" apenas no título! São dez estrofes de igual melodia, rezadas mesmo! A repetição é proposital, pois, por exemplo, repetitivas são as orações católicas (vide o terço). A palavra "tempo" é repetida à exaustão, como se quem reza estivesse tentando chamar a todo custo a atenção do deus tempo. É a pequenez humana frente ao tempo.

Neste arranjo da canção ora gravada pelo alagoano Djavan, perçeba os tambores e chocalhos que lembram índios suplicando por chuva, ou por qualquer outra coisa. Pode ser até que estejam rezando para fazer as pazes com o tempo.



Oração ao tempo
(Caetano Veloso)


És um senhor tão bonito
Quanto a cara do meu filho
Tempo tempo tempo tempo
Vou te fazer um pedido
Tempo tempo tempo tempo...
Compositor de destinos
Tambor de todos os rítmos
Tempo tempo tempo tempo
Entro num acordo contigo
Tempo tempo tempo tempo...
Por seres tão inventivo
E pareceres contínuo
Tempo tempo tempo tempo
És um dos deuses mais lindos
Tempo tempo tempo tempo...
Que sejas ainda mais vivo
No som do meu estribilho
Tempo tempo tempo tempo
Ouve bem o que te digo
Tempo tempo tempo tempo...
Peço-te o prazer legítimo
E o movimento preciso
Tempo tempo tempo tempo
Quando o tempo for propício
Tempo tempo tempo tempo...
De modo que o meu espírito
Ganhe um brilho definido
Tempo tempo tempo tempo
E eu espalhe benefícios
Tempo tempo tempo tempo...
O que usaremos prá isso
Fica guardado em sigilo
Tempo tempo tempo tempo
Apenas contigo e comigo
Tempo tempo tempo tempo...
E quando eu tiver saído
Para fora do teu círculo
Tempo tempo tempo tempo
Não serei nem terás sido
Tempo tempo tempo tempo...
Ainda assim acredito
Ser possível reunirmo-nos
Tempo tempo tempo tempo
Num outro nível de vínculo
Tempo tempo tempo tempo...
Portanto peço-te aquilo
E te ofereço elogios
Tempo tempo tempo tempo
Nas rimas do meu estilo
Tempo tempo tempo tempo...

sábado, 17 de julho de 2010

Barbatuques

Aqui, em Carapicuíba, cidade da região metropolitana de São Paulo, onde vim para passar 20 dias de minhas férias, não procurei nenhuma atração musical, apesar da oferta ser muito grande, já que estamos falando da maior cidade do Brasil. Dei preferência a visitar museus. Já que não posso falar de nada musical que tenha visto em SP, minha dica é o Barbatuques, que conheci assistindo ao Programa do Jô (e aí, tanto faz estar em SP como em Maceió, esse gordo passa em rede nacional mesmo...).

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Informal



Este vídeo foi filmado na primeira vez que visitei o Quintal Cultural. Após as apresentações do dia, e já que eu estava com o cavaquinho, pois vinha de um ensaio, a gente tocou algumas músicas. Com Gustavo Bezerra (Malacada) no violão de 7 cordas, Adriano Pop improvisando um tan-tan e Fagner Dubrown no pandeiro. No vídeo, o choro Carioquinha, de Waldir Azevedo.

sábado, 3 de julho de 2010

Shhhh!

A plateia do programa Altas Horas perdeu a oportunidade de ficar em silêncio ouvindo a "viagem" de Arnaldo Antunes. Estava tudo bem até começarem a bater palmas no meio da música. Poxa! Não dá pra ficar alguns minutinhos sem fazer barulho? Dói?


É por isso que eu apoio Lulu Santos:


Enquanto isso sigo sonhando com uma casa à prova de poluição sonora.

terça-feira, 22 de junho de 2010

SAIBA

"Saiba", de autoria de Arnaldo Antunes, ofereço a Gabriel, de 4 anos de idade, pequeno aventureiro musical, a quem estou dando aulas de musicalização. O vídeo refere-se a um projeto de Adriana Calcanhoto intitulado Adriana Partimpim. Não se espante, caro leitor, se passar a postar mais temáticas infantis. Gabriel é o responsável.

Clique aqui para ver o vídeo. (Provavelmente a equipe de Adriana Partimpim solicitou ao YouTube para impedir a incorporação do vídeo, por isto não consegui postar diretamente aqui no blog).

sábado, 12 de junho de 2010

MALACADA NO CLUBE DO CHORO - PARTE 02

Cá está a segunda parte da entrevista. Nota: Mona Quirino, que participou da entrevista, não está mais cantando conosco, portanto o Grupo Malacada é composto por Gustavo Bezerra, Ivo Farias e eu.
CLUBE DO CHORO - PARTE 02   01  05  10.mp3

MALACADA NO CLUBE DO CHORO

                                                            Foto: Ibys Maceioh

Confira a entrevista que o grupo Malacada concedeu ao programa Clube do Choro, da Rádio Educativa FM, de Maceió-AL. O programa é apresentado por Ivan Barsan e Ibys Maceioh, a quem o Grupo Malacada agradece pelo convite e espera que o programa tenha vida longa!

Aqui está a primeira parte da entrevista. A segunda será postada assim que conseguir o upload.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

ANDY MCKEE - UM VIRTUOSE!

Os puristas dirão que "isso" não é jeito de se tocar violão. Vejam e tirem suas conclusões!



Alguém já viu este instrumento?

terça-feira, 18 de maio de 2010

Malacada no Quintal Cultural

domingo, 2 de maio de 2010

"Eu youtubo, tu youtubas, eles youtubam": reverberações


Diálogo entre mim e Cláudio Jorge, violonista de Martinho da Vila, sobre postagem em seu blog acerca de questões concernentes à atual produção musical popular:

Eu:

"Olá grande Cláudio Jorge!

Vivemos um tempo de mudanças. E como em toda mudança, é necessário um tempo de adaptação. Eu me sinto privilegiado de ser um jovem músico de 24 anos de idade, acompanhando todo este processo.

Uma das mudanças desse novo tempo é o que estou fazendo agora: batendo papo com um músico famoso. O artista está ficando cada vez mais próximo do público, o que é bastante interessante, pois a arte não é feita simplesmente para o artista se exibir. A arte é partilha, é conhecimento, é da humanidade!

Seu samba oitava dor é muito bonito! Bela harmonia no violão! Gosto muito do seu disco "Amigo de fé". E, te digo sinceramente, se não fosse pela internet, nem sei se eu iria saber da existência de seus discos.

Um belo texto este seu. Foi muito bom pra mim pois participo de um grupo de estudos chamado "Música e Mídia".

É isso Cláudio Jorge. Pra mim é um imenso prazer escrever pra vc. Saiba que vc tem um admirador aqui em Maceió-AL. Ah! Gosto muito daquele seu samba "Coisa de Chefe", gravado por Aragão.

Abraço!"

Cláudio Jorge:

"Salve Salomão. Recebi com muito orgulho e prazer a tua mensagem. O pessoal anda meio preguiçoso em vir aqui comentar e prefere se comunicar comigo pelo e-mail. Esse texto rendeu muito papo sobre o assunto que você se dedica que é a tal mídia. Sou de uma família de jornalistas, avô, pai e filho. Caminhei pelo mundo da música mas fui contaminado por essa coisa de escrever observando o tempo em que vivo.
Conheci todos os lugares onde você viveu e vive, no tempo em que eu era guitarrista do Sivuca. Foram sete anos de estrada pelo nordeste tocando em festa de São João, saudades.
Viva a internet que nos proporcionou esse encontro. Um grande abraço e felicidades. Viva a música brasileira."

quarta-feira, 17 de março de 2010

Antonia "Discreta" Adnet

Já a vi em dois shows. Tanto em Recife como em Maceió, uma moça muito séria tocava violão na banda de Roberta Sá. Sua seriedade não parecia significar chatice ou dureza de sentimento. Empunhava seu violão de uma maneira tão convincente que nem precisava sorrir. Os acordes falavam por ela. Séria a vi no Pátio de São Pedro, num carnaval do Recife; séria a vi encerrando uma sexta-feira chuvosa num FEMUSESC passado. O nome dela é Antônia Adnet. O sobrenome lembra um rapaz que tem feito sucesso em programas e comerciais de televisão. E ela é mesmo prima de Marcelo Adnet.

Grande foi minha surpresa ao visitar o blog Um Que Tenha e avistar um disco intitulado "Discreta", de Antonia Adnet. Curiosidade para saber o que seria aquele disco. De pronto, acreditei num disco instrumental. Empolguei-me mais ainda para baixar. Grande foi minha surpresa, pois Antonia cantava! Demorei a assimilar aquilo: "Essa moça canta? Essa moça tão fechada, introspectiva, canta?" Canta! Mas deixa claro no título do disco: "Discreta".

O disco conta com a participação de Roberta Sá, que, aliás, tem o timbre parecido com o de Antonia Adnet, tanto que o ouvinte desatento não perceberá o momento de cada cantora na canção. Roberta assina um texto de apresentação no myspace de Antonia. Marcelo Adnet também canta com Antonia "Pessoas Incríveis" (Mario Adnet/Bernardo Vilhena): "é bom filosofar pra se fazer entender / fundamental é dividir o prazer". A música instrumental também está presente no disco, o que confirma que eu não estava errado em suspeitar que o disco seria todo instrumental. São três músicas: "Vitrine" (Moacir Santos), "Primeiro Choro" (Antonia Adnet) e "Tema de Outono" (Antonia Adnet).

Formada em Arranjo, Antonia tem 24 anos de idade e "chegou chegando"! Nascida em família bastante musical, a moça canta, compõe e toca violão desde pequena! Ela assina os arranjos de boa parte de "Discreta". Também produziu o álbum, com seu pai, Mario Adnet. Antonia Adnet estreia na carreira autoral acumulando muitas funções, mas cumpre bem cada uma delas, inclusive a de compositora! Que primor de disco! Que produção musical! Que voz suave! Que arranjos! Que deleite! Elogios mil!

domingo, 31 de janeiro de 2010

Spok Frevo Orquestra

A Spok Frevo Orquestra apresentou-se no VII Baile dos Seresteiros da Pitanguinha, no Centro de Convenções de Maceió. A orquestra tocou numa formação com cantor, cantora e passistas, diferentemente de quando se apresenta em teatros e festivais de música, onde os músicos tocam sentados e a platéia presta atenção a eles, esquecendo-se da dança.

Fiquei surpreso quando Spok falou sobre o prazer de tocar em Maceió, que é a "terra de João Lyra, Dida Lyra e Everaldo Borges". Este último eu conheço pessoalmente e cada vez mais fico convencido de sua grandiosidade. Aliás, Alagoas tem músicos de altíssimo nível como é o caso do citado Everaldo Borges (saxofone e outros instrumentos de sopro), Wellington Pinheiro (cavaquinho, violão, bandolim e o que mais der a ele) e Wilbert Fialho (violão). Isto só para citar os que já tive o prazer de tocar junto ou de ouvir ao vivo.

Mas a minha intenção ao escrever este texto é falar sobre a Spok Frevo Orquestra. Já a conhecia do carnaval do Recife e através de citações de Zeca Baleiro (que em Recife pediu perdão a Spok por tocar um frevo) e Moraes Moreira (que compôs uma música intitulada "Spok frevo spok"). Entretanto, por ocasião do Baile de Máscaras dos Seresteiros da Pitanguinha, tive a imensa felicidade de observar atentamente a orquestra e sentir o peso de todos aqueles metais no palco.

Mesmo tocando um repertório muito popular, devido ao caráter festivo e dançante do evento, percebi o jazz que há no frevo da orquestra de Spok. Prestei atenção no baixo e na guitarra. O swing jazzístico estava ali. A guitarra, um belíssimo exemplar acústico, imprimia muitos acordes em curtos intervalos de tempo. Mesmo não sendo um bom conhecedor de jazz, meus registros de memória musical apontaram para a percepção do ritmo americano presente naqueles frevos executados pela orquestra.

No vídeo abaixo, o frevo Passo de Anjo. Note, caro leitor, que neste a formação da orquestra é puramente instrumental, a que o próprio Spok gosta mais. Aliás, ele está sendo o responsável por retirar o rótulo de música de carnaval que o frevo tem. Frevo é para se ouvir o ano inteiro. Spok que o diga!


obs.: legenda foto: Eu e Spok antes da Orquestra começar a tocar / crédito: Ísis de Cássia Santos